Livro: E não sobrou nenhum, de Agatha Christie

Oi amores, tudo bem com vocês? Quem me acompanha há mais tempo sabe o quanto sou apaixonada por livros. Desde que me conheço por gente eu sempre li muitos livros, principalmente os romances policiais que sempre me envolveram muito. Estava lendo muito os livros do Harlan Coben ultimamente, que é um escritor incrível que me encantou com seu jeito irônico, principalmente com o personagem do Myron Bolitar.

Esses dias fui em uma livraria em Campos dos Goytacazes e estava olhando as prateleiras dos romances policiais e me deparei com Agatha Christie, e aí lembrei do meu amor louco pelos livros dela, que infelizmente tive que deixar de lado para ler os livros jurídicos (quem não sabe, eu sou acadêmica de Direito) mas não resisti e comprei o livro mais vendido e famoso de Agatha. Quando tive 11 anos li o primeiro livro dela, a bibliotecária ainda me avisou que era uma leitura difícil, e realmente foi, mas foi amor ao primeiro livro. Agatha é uma escritora incrivelmente inteligente e com uma imaginação impressionante, não tem como não se apaixonar. O tal primeiro livro de Agatha foi Mistério no Caribe, recomendo muito.

Voltando a minha compra recente, o livro mais famoso da escritora, é o conhecido recentemente como “E não sobrou nenhum”, antigo “O caso dos dez negrinhos”, que foi considerado um título racista mais tarde nos Estados Unidos e teve que ter o seu título alterado. Além de ter esse título aqui no Brasil , (mas que teve um outro nome, quando foi publicado nos anos 50 como “O vingador invisível”), permaneceu o mesmo nos Estados Unidos, mas tem outros nomes ao redor do mundo, como “Convite para a morte” ou “As dez figuras negras” em Portugal.

Comprei por R$39,90 na livraria Leitura, tem 399 páginas (um tamanho consideravelmente bom) e é um livro publicado em 1939, um dos maiores best-sellers de todos os tempos, com mais de 100 milhões de cópias vendidas, além de ser o romance policial mais vendido na história e entra na lista de livros mais vendidos de todos os tempos independente do gênero.

Conheçam o enredo fascinante da história:

A história passa-se numa ilha deserta, situada na costa de Devon. Ela é narrada em terceira pessoa e descreve a vivência de dez estranhos (entre si) que foram atraídos para a mansão da ilha por um misterioso homem e sua esposa que têm as mesmas iniciais: U. N. Owen.

No primeiro capítulo do livro (dividido em oito partes) é relatada a viagem de oito dos dez estranhos que se encontram todos a caminho da ilha. Nesta primeira fase conhecem-se os motivos que as oito pessoas têm de se dirigir à ilha. Na data combinada, os oito chegam no lugar encontrando-se com os criados do casal U. N. Owen: Mr. e Mrs. Rogers. Eles contam que seus patrões, por motivos pessoais, não puderam vir para a ilha, e que os convidados terão de esperar um pouco pela sua chegada.

Mais tarde, quando os hóspedes terminam o jantar, uma voz vinda de um gramofone colocado junto à parede de uma sala contígua faz acusações contra os dez (os oito convidados e o casal Rogers), todas elas envolvendo a morte de alguém.

Amedrontados e indignados com o que acabaram de ouvir, os convidados tentam procurar com Mr. Rogers informações sobre o casal U. N. Owen, mas ele nega com veemência sequer conhecê-los. Eles encontram o disco que tem o nome “O Canto do Cisne”. Todos estão assustados e temerosos, com exceção de um deles, um jovem altamente imprudente. Sem maiores dificuldades, todos decidem que a melhor coisa a fazer é sair do local pela manhã. O grande problema é que a única forma de locomoção é um barco que vem do continente, mas que pelo simples fato do mar está agitado não consegue chegar ao local da ilha.

Enquanto estão na ilha, todos vão sendo assassinados. Cada morte segue precisamente ou em parte o que diz um poema emoldurado no quarto de cada um. A medida que as mortes vão ocorrendo, fica claro para os hóspedes que um deles é o assassino e, para piorar a situação, as condições climáticas impedem que eles saiam da ilha ou peçam ajuda.

Agatha Christie é a romancista mais bem sucedida da história, nascida na Inglaterra em 15 de setembro de 1890. É conhecida como “Rainha/Dama do crime”, publicou mais de 80 livros (pasmem, 80 livros”). Suas obras juntas venderam mais de 4 bilhões de cópias, esses números só ficam atrás de William Shakespeare e a Bíblia (pasmem novamente)

Sinceramente, foi o melhor livro que li, e olha que não li poucos hein. Recomendo absurdamente esse livro para vocês. Gostaram da resenha? Comentem para eu saber e fazer mais para vocês.

Instagram: @biancamartinsblog | Snapchat e Twitter: biancamoraesm

Facebook do blog | Facebook pessoal | Canal no Youtube

Fiquem com Deus, beijos amores  

Comentários

Comentário(s)

Leave a Reply